sábado, 27 de outubro de 2012

lindo texto de uma mãe que perde seu bebe ....


RECEBI ESTE TEXTO LINDO DE MINHA AMIGA COMO NÃO SE EMOCIONAR LENDO ELE, FOI ASSIM QUE ME SENTI COMO QUIZ PEGAR MINHA ESTER NO COLO NINAR AMAR OLHAR SEU ROSTINHO HORAS E HORAS BEIJAR E DIZER O QUANTO ELA ERA LINDA...BRIGADA AMIGA LINDO MESMO....

Taty Oliveira

Ela esteve só, absolutamente só e experimentou viver a coragem de ser mãe no limiar de um mundo que se fechava.
Como quis segurar no colo o seu bebê, como sonhou e como lutou. Depositou toda fé e esperança do mundo numa busca despedaçada. Ela só quis ter esta alegria e acordou no meio de um pesadelo que não tinha nunca fim... Eram milênios de silêncios... O espetáculo do mundo lhe feria todas as fibras da alma.
Pensou numa vida de sonhos e alegria com um bebê correndo pela casa e uma vida justificada. Mas subiu sozinha pelas escadas escuras da maternidade. E foi tudo o que teve de uma mãe inteira: a dor, a angústia de uma espera dia após dia num corredor de hospital. Como teve saudade da vida que nunca poderia ter..
.
Era verão, um longo verão de noites em claro e uma vontade de sair correndo e gritando para o mundo que a morte mais terrível é a da alma. Seu bebê estava naquela UTI ligado em aparelhos, não havia um só lugar do seu pequeno corpinho que não tivesse recebido agulhada: Até seu imenso coraçãozinho. Era tão miúda e ao mesmo tempo tão gigantesca para suportar o que ela não suportava mais. Meses... E não teve nenhuma resposta do céu e nem da terra... Todos lhe abandonaram... Até a alegria de viver... Pensar naqueles instantes em que ela sentia as mais violentas dores em silêncio. Ela e o seu bebê em essência eram um só. Ele sentia e ela sentia... Ela cantava e ele chorava... Sua mão na dele... Era tudo que ela podia ter.
Depois veio a morte e ele tão pequeno pela primeira vez em seus braços afagou.
Olha o céu e o encontro entre as estrelas, lá onde a dor não pode mais atingi-lo, lá onde as portas estão abertas... Ninguém saberá quem foi... Quanto a ela nunca poderá viver sem tê-lo. Acordará muitas manhãs pensando na diferença que ele faria neste mundo e fazendo um grande esforço para não enlouquecer... Assim vai indo com esse difícil olhar para um futuro incompleto. O equilíbrio se desfez neste presente inacabado... Até que profundamente desiludida reconhecerá que aquela era à noite mais longa do seu verão...
Derrotada por anos de dor e uma saudade inútil da vida que não teve. Sobreviverá... Mais a vida que sonhara, não...
Alguma coisa rebentara na sua alma e ela descobriu o perigo de viver...

Nivalda Silva

3 comentários:

  1. Que triste...
    Eu penso que todas crianças no mundo nunca poderiam sofrer de maneira alguma,e principalmente morrer,mas infelizmente essa é a lei da vida!E nós mães sofremos tanto...

    ResponderExcluir
  2. Acabei de perder meu bebècom quase 6 meses de gravidez, eu sei o que vc estar passando pq eu estou arrazada, doe demais

    ResponderExcluir
  3. perdie meu bebê tava novinho ainda mais , fiquei muito , triste ><

    ResponderExcluir

ESTER EU TE AMO ETERNAMENTE

Sinto saudades...

glitters