terça-feira, 22 de maio de 2012

O que doi mais ?



O que dói mais?
Dizer que perdi uma parte de mim, ou explicar que tenho uma dor de tal maneira forte no meu coração, que me faz sofrer horrores?
Dizer que tenho um espaço vazio em mim que nunca mais vou preencher; ou sentir-me esmagado pelas recordações que tenho de quem partiu.
O que dói mais?
Sentirmo-nos sozinhos no nosso sofrimento, ou sentirmos que os outros não estão a sofrer como achamos que deviam de sofrer, e por isso, sentimo-nos revoltados, e por vezes com alguma raiva.
O que dói mais?
Sentir a angústia de sofrer por um passado que já não volta, ou sentir ansiedade por não poder realizar mais os projetos que tínhamos elaborado?
O que dói mais?
A dor dos pais? Dos filhos? Dos cônjuges? ...
A dor que dói mais, para mim mesmo; é a dor que trago comigo, por isso não vale a pena compará-la com mais nenhuma, porque a minha dor é a maior de todas, porque é minha!
Por isso não vamos comparar sofrimentos de perda, pois esses sofrimentos são inerentes à história de vida de cada pessoa, ao significado que cada um construiu com o outro, aos projetos que tinha, as caricias que teve, à intensidade com que viveu, pois a medida do nosso amor é também uma das medida do nosso sofrimento. Se eu entender que a minha dor é a maior de todas para mim mesmo, e entender em simultâneo que a dor do outro, é a maior para ele mesmo, então entenderei que o principal é respeitar a forma como cada um sofre no silêncio do seu próprio ser. Respeitar os sentimentos de dor, de angústia, de revolta, por vezes de raiva e agressividade, outras vezes com surtos de choro e nostalgia, outras vezes ainda com uma enorme inércia ou com uma recusa da realidade, mas sempre com uma grande autenticidade na forma como o expressamos.
Por tudo isso, há que entender as diferentes formas de vivenciar, expressar e interpretar o sofrimento (tanto nosso como dos outros).
Há pessoas que reprimem o choro, mas no entanto choram sozinhas; há pessoas que são mais fortes que outras, mas no entanto tem momentos de fragilidade; há pessoas que são torres de marfim, mas no entanto essas torres um dia caiem; mas mesmo essas pessoas que á primeira vista não sofrem como a “maioria” das outras pessoas, mesmo essas, sofrem tanto como essas outras; e sofrem pela medida do seu sentimento, e sofrem porque os outros não respeitam o seu sofrimento em silêncio, e sofrem porque não são compreendidas e aceitas pela maneira autêntica como estão a sofrer, e sofrem porque não conseguem compreender como esses outros, que também sofreram e sofrem, não entendem que se possa sofrer de maneira diferente e sofrem porque além de sofrerem não têm ninguém para partilhar e entender o seu sofrimento logo, sofrem sozinhas.
Por isso meus amigos, e no meu entender o importante não é comparar sofrimentos, é aceitar o nosso próprio sofrimento, é compreender o sofrimento dos outros, que têm a sua maneira intima de sofrer, é partilhar as diferentes formas de sofrer para que todos nós nos apoiemos nesta longa caminhada que se for feita em conjunto é menos penosa, é menos longa é menos triste....
Seja como for, a caminhada de sofrimento que temos de fazer, iremos fazê-la; sozinhos ou acompanhados, é já uma opção de cada um, mas um coisa é certa, todos nós teremos que caminhar nesse trilho do sofrimento.
Na estrada da minha vida, perdi-te no meu olhar, e foi aí mesmo que te encontrei.
(Autor desconhecido)
Repasso com carinho, estamos unidas pela dor e nossa missão nesta vida é ajudarmos umas as outras. Você tem toda razão, ninguém tem o direito de nos julgar ou determinar a duração e a intensidade do nosso sofrimento. É muito facil falar quando os espinhos não são nossos.
Beijos fique na paz.
Lígia - Mãe do ANJO MAYTE

3 comentários:

  1. Oi espero que esteja bem ao ler essa mensagem!
    Acabei de ler seu post no babycenter e vimcorrendo no seu espacinho,e me emocionei muito viu.
    Imagino um pouco de tua dor,infelizmnete tive um aborto em marco no inicio de minha gestacao estava de 5 semanas e sofri muito,imagino que sua dor seja maior por ter sido infelizmente duas perdas ja que eu tenho um filho lindo e saudavel que me da deu e me da forcas!
    espero que Deus conforte o coracao de vcs.
    Ate agora nao apareceu minha red,mas nao vejo a hora de voltar aos treinos e ter minha bencao de novo :)
    beijinhos,estou te seguindo me segue tambem :)
    fuiiii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola querida obrigada por vim ao meu cantinho e muito bem vinda, sabe aprendi que não a dor maior uma mãe ela ama mesmo antes do bebe existir ela ama ele ja em seus projetos de ser mãe obrigada pelas palavras beijinhos volte sempre e qualquer novidade venha me contar...

      Excluir

ESTER EU TE AMO ETERNAMENTE

Sinto saudades...

glitters